Como assim, bol… como?

O bolware continua fazendo milhares de vítimas, mesmo sendo um golpe antigo. Esse golpe consiste em adulterar os boletos bancários fazendo com que o pagamento seja desviado para a conta dos criminosos. 

A “Gangue do Boleto” é acusada de desviar R$ 8,2 bilhões segundo o Laboratório de Análise de Malwares da PSafe.

O boleto bancário responde a grande parte dos pagamentos online e convencionais, e é uma invenção brasileira. Porém os cibercriminosos (criminosos virtuais) encontraram formas de inserir vírus, que alteram os dados originais dos boletos, nos computadores das vítimas. Esse golpe prejudica tanto o pagador quanto a pessoa responsável pela emissão do boleto, comprometendo sua credibilidade. Porém o computador infectado pelo vírus é aquele que adultera o boleto, sendo este, na maioria das vezes, o computador do pagador. 

A infecção do computador da vítima pode se dar por diversas formas, entre elas: links e anexos de emails falsos, links de sites contaminados, baixando softwares piratas contaminados, através de invasões na rede (inserção direta).

Quando o computador é infectado o vírus fica “observando” a atividade do usuário no navegador da internet, assim detecta o momento em que um boleto está sendo gerado e altera os dados da linha digitável (aquela que fica no topo do boleto), trocando a conta original pela criminosa. Deste modo a vítima paga o boleto mas o valor não chega ao emitente do boleto, mas sim para a conta dos hackers.

Como evitar o bolware?

As dicas que fornecemos são: Manter um antivírus (de preferência pago) e sistemas operacionais atualizados, a abertura de links e anexos de fontes desconhecidas deve ser evitada,  confira todas as informações do boleto antes do pagamento, consulte dados das instituições financeiras por meio do site de Busca da FEBRABAN (www.buscabanco.org.br). 

Atenção nos seguintes dados do boleto: Nome de marca e logotipo coerentes, o número do banco e os três primeiros caracteres da linha digitável devem ser iguais, a linha digitável deve conter a agência, o código cedente e o valor do documento. 

Para evitar margem de erros, se houver dúvidas, ligue para o emissor do boleto e confirme as informações por voz.

Caso seu computador já esteja infectado recomendamos a varredura completa com um programa antivírus, ou a formatação do computador. Em todos os casos, contate a equipe de TI de sua empresa. 

Esperamos que estas dicas possam te ajudar a aumentar sua segurança ao realizar pagamentos, tanto particulares quanto da empresa. 

Até a próxima!